O Presidente da República eleito, Marcelo Rebelo de Sousa, disse esta quarta-feira que o encontro com Cavaco Silva na quinta-feira “faz parte da lógica das transições” para o Presidente cessante passar as pastas ao seguinte.

“Faz parte da lógica das transições o Presidente cessante passar – digamos assim – pastas ao Presidente seguinte e, por outro lado e desde já também, ficar a saber onde é que vou funcionar durante as próximas semanas”, respondeu Marcelo Rebelo de Sousa aos jornalistas na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa.


O chefe de Estado, Aníbal Cavaco Silva, recebe na quinta-feira o Presidente da República eleito, Marcelo Rebelo de Sousa, em audiência, seguida de um almoço.

De acordo com a agenda divulgada pela Presidência da República, a audiência de Cavaco Silva a Marcelo Rebelo de Sousa está marcada para as 12:30, no Palácio de Belém.

Questionado pelos jornalistas sobre se quinta-feira vai conhecer a casa, o Presidente da República eleito respondeu: “amanhã não ainda, mas no final da semana”.

Sobre se já formou equipa, Marcelo Rebelo de Sousa disse que “ainda não” e que vai “ouvir o que é que o senhor Presidente tem a dizer”.

Marcelo Rebelo de Sousa foi no domingo eleito Presidente da República com 52% dos votos, uma percentagem acima dos 50,5% conseguidos na primeira eleição pelo seu antecessor, Cavaco Silva, em 2006.

O ex-líder do PSD e comentador político tornou-se no quinto Presidente da República portuguesa desde o 25 de Abril de 1974, numas eleições em que se registou uma abstenção de 51%.

De acordo com os dados do Ministério de Administração Interna, Marcelo obteve 52%, seguindo-se Sampaio da Nóvoa (22,89%), independente apoiado por personalidades do PS, Marisa Matias (10,13%), apoiada pelo BE, Maria de Belém (4,24%), militante do PS, Edgar Silva (3,95%), apoiado pelo PCP, Vitorino Silva (3,28%), Paulo de Morais (2,15%), Henrique Neto (0,84%), Jorge Sequeira (0,3%) e Cândido Ferreira (0,23%).

Marcelo Rebelo de Sousa tomará posse como Presidente da República a 9 de março.

Nos termos da Constituição, o Presidente eleito toma posse perante a Assembleia da República no último dia do mandato do Presidente cessante.