O ex-presidente da Comissão Europeia Durão Barroso desejou, esta segunda-feira, a Marcelo Rebelo de Sousa "os maiores êxitos" no exercício de uma Presidência que prevê ser "muito exigente" já que Portugal "vive num momento ainda difícil".

"Desejo ao professor Rebelo de Sousa os maiores êxitos no exercício de uma Presidência da República, uma Presidência que vai ser muito exigente, porque Portugal vive um momento ainda difícil", disse o social-democrata José Manuel Durão Barroso.


De acordo com a Lusa, o ex-presidente da Comissão Europeia falava à margem de um almoço palestra, com o diretor-geral da Concorrência da Comissão Europeia, Johannes Laitenberger, dedicado às prioridades das políticas europeias de concorrência e organizado pelo Instituto de Estudos Políticos, da Universidade Católica.

Durão Barroso destacou ainda que Portugal "conseguiu sair do programa de ajustamento", mas alertou que "há alguns sinais de que pode estar a ser posta em causa a confiança reconquistada".

"É por isso muito importante que o Presidente da República utilize a sua magistratura, não apenas para promover a convergência e o consenso nacionais, mas também para a consolidação da imagem externa de Portugal e da confiança no nosso país", sustentou o antigo líder do PSD.


Apesar de dizer que é óbvio que há competências que são do Governo e outras da Assembleia da República, Durão Barroso aproveitou para lembrar que o Presidente da República "de acordo com o sistema constitucional pode e deve", a seu ver, "exercer uma influência a favor dos consensos nacionais e da imagem externa do país, quando está em causa o superior interesse nacional".

"Tenho confiança na capacidade [que Marcelo Rebelo de Sousa] tem para isso e, por isso, acho que foi uma muito boa escolha aquela que os portugueses, por uma maioria clara, quiseram dar-lhe, logo na primeira volta das eleições presidenciais", afirmou.

Além disso, reforçou ter a "plena confiança na capacidade do professor - que conhece talvez como ninguém o sistema institucional e político português - de gerir ao nível da Presidência da República algumas das questões mais sensíveis".

Durão Barroso afirmou ter ficado "muito feliz e nada surpreendido" com os resultados eleitorais de domingo que elegeram Marcelo Rebelo de Sousa como Presidente da República, com 52% dos votos.

"Fiquei também feliz por ele, porque é alguém que tem dedicado toda a sua vida à coisa pública e acho que os portugueses lhe fizeram justiça, reconhecendo precisamente essa excecional preparação que tem e a vocação política de que deu provas ao longo de tantos anos", frisou.

Marcelo Rebelo de Sousa tornou-se no quinto Presidente da República eleito desde o 25 de Abril de 1974, numas eleições em que se registou uma abstenção de 51%.

De acordo com os dados do Ministério de Administração Interna, Marcelo obteve 52%, seguindo-se Sampaio da Nóvoa (22,89%), independente apoiado por personalidades do PS, Marisa Matias (10,13%), apoiada pelo BE, Maria de Belém (4,24%), militante do PS, Edgar Silva (3,95%), apoiado pelo PCP, Vitorino Silva (3,28%), Paulo de Morais (2,15%), Henrique Neto (0,84%), Jorge Sequeira (0,3%) e Cândido Ferreira (0,23%).
 

Conselho Europeu deseja felicidades a Marcelo Rebelo de Sousa


O presidente do Conselho Europeu, endereçou, esta segunda-feira, parabéns a Marcelo Rebelo de Sousa pela sua eleição como Presidente da República, numa nota em que manifestou ainda a confiança na estabilidade política e coesão social do país.

“Em nome do Conselho Europeu, e em meu nome pessoal, desejo-lhe os maiores sucessos nas suas funções. Confio que Portugal vai beneficiar da estabilidade política e coesão social que são necessárias para responder aos desafios que enfrenta”, afirmou Donald Tusk, numa nota escrita em inglês e em português.


Tusk notou, “com prazer, que o empenho político e apoio popular” de Portugal ao projeto e valores europeus, recordando passarem 30 anos desde adesão às comunidades europeias.

“Tenho a firme convicção que Portugal continuará a contribuir para o desenvolvimento da União Europeia, completar a união monetária e para as respostas apropriadas às ameaças geopolíticas”, concluiu Tusk.


O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, felicitou também Marcelo Rebelo de Sousa pela vitória nas eleições presidenciais de domingo, e transmitiu-lhe o desejo de o rever em breve, indicou um porta-voz do executivo comunitário.

“No seguimento das eleições presidenciais em Portugal, ontem [domingo], o presidente Juncker enviou uma carta de felicitações ao presidente eleito Marcelo Rebelo de Sousa, em nome da Comissão Europeia”, anunciou Margaritis Schinas, durante a conferência de imprensa diária do executivo comunitário, em Bruxelas.

O porta-voz recordou que o presidente da Comissão e o novo Presidente da República “já se encontraram no passado” e indicou que Jean-Claude Juncker, na missiva de felicitações dirigida a Marcelo Rebelo de Sousa, “manifestou o seu desejo de o ver novamente em breve nas suas novas funções”.

Juncker recebeu Marcelo Rebelo de Sousa a 19 de novembro passado, por ocasião de uma deslocação a Bruxelas do então candidato.