Manuel António Correia, candidato derrotado na segunda volta das eleições diretas no PSD/Madeira, disse esta segunda-feira, no Funchal, que a partir de agora a «tarefa fundamental» consiste em «unir o partido».

«Agora existem dirigentes eleitos, existe o PSD e existe uma tarefa fundamental para a qual todos temos de contribuir: unir o partido, torná-lo mais forte e ainda mais vencedor como certamente será no futuro», declarou Manuel António Correia, que perdeu a corrida à liderança para Miguel Albuquerque.

Manuel António Correia obteve 35,94% (2216 votos), num universo de 7146 militantes com direito a voto.

«O povo em democracia tem sempre razão e, portanto, respeitamos integralmente estes resultados que, não sendo aqueles que nós queríamos, são, no entanto, relevantes», salientou Manuel António Correia.

Apesar da derrota, o candidato destacou que obteve mais de um terço dos votos.

«Acabou-se a campanha. Continuaremos como sempre fomos: próximos das pessoas, longe dos interesses e à volta dos valores da social-democracia», afirmou.

Manuel António Correia saudou, por outro lado, os militantes do PSD/Madeira, considerando que estão de "parabéns por aquilo que fizeram" e pelo que "prometeram fazer no futuro", que foi "lutar pelo partido, mobilizar-se à volta do partido e mobilizar-se à volta das grandes causas da Madeira".

O candidato derrotado quis também felicitar o vencedor, Miguel Albuquerque, salientado que "a sorte dele significará a sorte do PSD".