O ex-candidato presidencial Manuel Alegre considerou este domingo que o Presidente da República «deve refletir» nos resultados das eleições e nas posições políticas que tem tomado, acusando Durão Barroso de conduzir a Europa para «um abismo».

«Estas eleições representaram uma vitória do PS, que aparece como uma força de mudança e de alternativa, e uma derrota histórica da coligação de direita - uma derrota pela maneira como dirigiu o país e pela política europeia que fez, numa total submissão às instituições europeias», declarou o dirigente «histórico» do PS à chegada ao «quartel-general» onde a direção dos socialistas está a acompanhar a evolução dos resultados eleitorais.

Perante os resultados que provavelmente se deverão verificar nestas eleições, Manuel Alegre referiu que, «se houvesse uma situação normal» institucional no país, haveria consequências políticas.

«O Presidente da República também deve refletir em relação a estes resultados e deve refletir sobre as posições políticas que tem tomado, quer para dentro, quer para fora», advertiu o membro do Conselho de Estado.

Além de um mau resultado das forças que suportam o Governo, Alegre defendeu que o resultado global das eleições «é também uma derrota das instituições europeias, em particular de Durão Barroso» [presidente da Comissão Europeia].

«Estão a conduzir a Europa para um abismo», apontou Manuel Alegre, dando como exemplo «o terramoto eleitoral» que se verificou em França.

«O resultado que se verificou em França é um aviso para todos e é uma derrota da Europa», advertiu.

Para Alegre, o PS deverá ter «a vitória mais importante de qualquer partido da esquerda até agora na Europa».

«O Governo terá provavelmente menos de 30 por cento. Não vale a pena disfarçar. É uma derrota estrondosa da coligação de direita», acrescentou o ex-candidato presidencial.