O ministro da Defesa admitiu esta sexta-feira um problema de «linguagem» no seu comentário à morte do economista Silva Lopes, no qual sublinhou a «felicidade» da coincidência com a data da morte de Manoel de Oliveira.

Numa publicação no Facebook, Aguiar Branco confessou que a expressão foi «infeliz», mas criticou aqueles que quiseram atribuir-lhe um «sentido perverso».
 
 

Ontem cometi um "lapsus linguae". A linguagem traiu o pensamento ao pretender honrar, render homenagem e distinguir dois...

Posted by José Pedro Aguiar Branco on Sexta-feira, 3 de Abril de 2015
 

Esta quinta-feira, quando comentava a morte do economista José da Silva Lopes, o ministro destacou a «felicidade» deste em «poder partilhar o momento com Manoel de Oliveira», que faleceu no mesmo dia.
 

«Silva Lopes foi um português que também prestou serviços relevantes com convicção e de forma muito transparente e frontal, que sempre defendeu as suas posições, e por isso até acho que, nessa coincidência, tem a felicidade de ser no mesmo momento em que outro grande português nos deixa».