O PS acusou esta quarta-feira a maioria PSD/CDS de tentar impedir o esclarecimento dos incidentes na escadaria do Parlamento numa manifestação de polícias e da situação na PSP ao rejeitar uma audição com o ministro da Administração Interna.

Esta posição foi tomada pelo vice-presidente da bancada socialista Marcos Perestrello, depois de o PSD e CDS terem rejeitado esta manhã, na Comissão de Assuntos Constitucionais, um requerimento do PS a solicitar uma audição com o ministro Miguel Macedo.

Em declarações à agência Lusa, Marcos Perestrello referiu que o PS pediu a audição de Miguel Macedo logo após os incidentes registados numa manifestação de polícias em frente à Assembleia da República, episódio que motivou depois a demissão do então diretor nacional da PSP, o superintendente Paulo Varela Gomes.

No entanto, na sequência desse pedido formulado pelo PS, no final de novembro, o deputado do PSD Hugo Velosa alegou que uma audição com o ministro Miguel Macedo apenas se deveria realizar após a conclusão de um relatório aos incidentes na escadaria do parlamento a cargo da Inspeção Geral da Administração Interna (IGAI).

«Esse relatório já é conhecido e, por isso, são agora incompreensíveis as contradições desta maioria PSD/CDS, que faz o impossível para impedir o esclarecimento de importantes questões de segurança. Mas não é empurrando as questões para debaixo do tapete que se resolvem as questões de segurança», sustentou o vice-presidente da bancada socialista.