A ministra da Administração Interna anunciou esta sexta-feira, no Algarve, que o Governo está a preparar um protocolo com a polícia nacional francesa para poder desenvolver patrulhamento misto, com as forças policiais portuguesas, em ambos os países.

"Este ano ainda não é possível, porque são protocolos que demoram tempo (…), mas é uma iniciativa que estamos neste momento a desenvolver com a polícia francesa", disse Constança Urbano de Sousa, lembrando que já existe cooperação com Espanha nesse sentido, sobretudo nas zonas fronteiriças.

De acordo com a responsável pela pasta da Administração Interna, afastada está, para já, a cooperação com o Reino Unido, uma vez que aquele país tem uma posição "especial" entre membros da União Europeia no que respeita à segurança e justiça, no âmbito da determinação de cláusulas de autoexclusão.

A governante falava aos jornalistas à margem da apresentação do Dispositivo para o Verão 2016, que decorreu na sede do Turismo do Algarve e que contou com apresentações por parte da PSP, da GNR, do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) e da Autoridade Nacional para a Segurança Rodoviária (ANSR).

Na ocasião, esteve ainda presente a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, que referiu que, entre janeiro e abril deste ano, o Algarve registou mais 500 mil dormidas do que no mesmo período de 2015, o que representa um crescimento de 20%, um indicador que considerou muito positivo, por se tratarem de meses de época baixa.

Durante o verão, o reforço da GNR para o Algarve é de 191 efetivos: dois pelotões de ordem pública, com 60 homens, quatro esquadras de cavalaria, com 24 efetivos e igual número de cavalos, duas equipas de patrulhamento turístico, com 12 efetivos, e ainda 90 guardas provisórios, que reforçarão o dispositivo enquanto cumprem o seu estágio.

De acordo com o comandante do Comando Operacional da GNR, Rui Moura, estes efetivos da GNR estarão sobretudo concentrados na orla costeira sul, mas os meios podem ser deslocados para outras localidades, de acordo com as necessidades.

Em eventos de grande dimensão está também previsto um reforço não permanente de militares, referiu aquele responsável, destacando ainda a atuação de patrulhas mistas de operacionais portugueses e espanhóis nas zonas de fronteira.

No caso da PSP, desde quinta-feira que o dispositivo permanente na região começou a ser reforçado com 28 equipas do Corpo de Intervenção (CI) da sede da Unidade Especial de Polícia (UEP), que permanecerão na região até 20 de setembro, em regime de rotação, com três equipas de cada vez.

Estas, em conjunto com as quatro equipas permanentes do CI no Algarve, estarão localizadas em Tavira/Vila Real de Santo António, no Aeroporto de Faro, em Olhão/Faro, em Portimão e em Lagos, referiu o comandante distrital da PSP de Faro, acrescentando que este ano o reforço iniciou-se duas semanas antes da data habitual, que costuma ser 01 de julho.

A PSP terá ainda um reforço de quatro equipas de motociclistas, estando prevista também a reativação dos postos de atendimento turístico da PSP em Vila Real de Santo António, Portimão e Lagos, concluiu Ricardo Abreu de Matos.