O secretário de Estado da Administração Interna disse, esta quinta-feira, que o Governo vai tentar arranjar soluções “boas ou razoáveis” para as instalações com maiores contrangimentos das unidades do Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro (GIPS), da GNR.

Jorge Gomes respondia a um desafio lançado pelo vice-presidente da Câmara de Ribeira de Pena, Luís Ferreira, durante a apresentação do dispositivo de combate a incêndios do distrito de Vila Real.

A unidade do GIPS de Ribeira de Pena está instalada num edifício exíguo e com poucas condições para os 24 militares que ali permanecem o ano inteiro. No entanto, há outros casos de unidades espalhadas pelo país com problemas a nível de instalações.

O secretário de Estado referiu que o Governo “vai estudar caso a caso” e salientou que, conjuntamente com as autarquias, serão encontradas soluções “boas ou razoáveis para que eles possam “estar bem instalados”.

Jorge Gomes adiantou que, através de candidaturas a fundos europeus, já estão a ser “criadas novas instalações” para os GIPS em alguns distritos, no entanto ressalvou que não há condições financeiras para novas construções em todos os casos.

“Agora, da nossa parte o que há é a intenção de que, quer a Força Especial de Bombeiros – os Canarinhos – quer os GIPS, tenham instalações dignas porque estão 365 dias por ano ao serviço da Proteção Civil, eles não estão apenas ao serviço dos incêndios”, frisou.

O Governo avançou ainda que vai recorrer aos fundos comunitários para adquirir novos carros e requalificar infraestruturas num projeto de investimento com execução prevista até 2017. Este ano serão investidos 3,5 milhões de euros na substituição de viaturas do grupo de internveção, proteção e socorro (GIPS) da GNR