Notícia atualizada às 15:58

Anabela Rodrigues é a nova ministra da Administração Interna, sucedendo a Miguel Macedo, que apresentou a demissão na sequência das detenções sobre o caso dos vistos gold. Anabela Rodrigues é a primeira mulher a assumir a pasta da Administração Interna. É atual diretora da Faculdade de Direito de Coimbra e foi diretora do Centro de Estudos Judiciários.

É professora de Direito e Processo Penal, foi Presidente da Comissão para a Reforma do Sistema de Execução de Penas e Medidas e Presidente da Comissão de Reforma da Legislação sobre o Processo Tutelar Educativa. 

Anabela Rodrigues, de 61 anos, foi um dos nomes rejeitados em 2011 pelo Conselho Europeu para o Tribunal Europeu dos Direitos do Homem.  

A nova ministra é um nome considerado muito próximo do atual ministro da Defesa, Aguiar-Branco, e terá mesmo sido ele a nomeá-la para diretora do CEJ, quando foi ministro da Justiça.

O convite terá sido feito esta segunda-feira-feira e as conversações entre Passos Coelho e Anabela Rodrigues terão sido intermediadas precisamente por Aguiar-Branco.

A tomada de posse está marcada para quarta-feira, dia 19 de novembro, pelas 12:00 horas, no Palácio de Belém.


«Uma excelente escolha»


O ministro da Defesa saudou a nomeação de Anabela Rodrigues para o Ministério da Administração Interna, lembrando que já trabalhou com a nova ministra quando esta era diretora do Centro de Estudos Judiciários. 

Aguiar-Branco acredita que «qualquer observador atento e qualquer observador isento não deixará de reconhecer que [Anabela Rodrigues] é uma excelente escolha, que tem uma competência e qualificação muito acima da média, e por isso vai valorizar e ser um valor acrescentado para o próprio governo». 
 
O presidente da Liga de Bombeiros Portugueses considera Anabela Rodrigues uma boa escolha, lembrando que tem sido bem-sucedida nos cargos que desempenhou. Jaime Marta Soares destaca o facto de tratar-se de uma mulher, o que pode imprimir mais sensibilidade para assuntos relacionados com os bombeiros.
 

«Nunca lidou com a realidade policial»


Paulo Rodrigues da Associação Sindical dos Profissionais de Polícia diz que a nova ministra da Administração Interna «terá muitas dificuldades» no exercício do cargo, porque nunca lidou com a realidade da polícia.
 
O Conselho Português de Proteção Civil não tem dúvidas quanto à competência técnica Anabela Rodrigues. Mas João Paulo Saraiva está pessimista quanto ao que pode fazer na área da Proteção Civil.
 

«Governo ligado à máquina»

 
A Oposição também já reagiu à nomeação, com o PS a considerar que o primeiro-ministro deixou o Governo «ligado à máquina» ao recusar fazer uma remodelação alargada e ressalvou que não está em causa o perfil de Anabela Rodrigues para ministra da Administração Interna.