Os trabalhos do plenário da Assembleia da Madeira foram esta quinta-feira suspensos depois de o único deputado do PTP, José Manuel Coelho, se ter despido em plena sessão, em protesto pelo facto de os seus vencimentos estarem penhorados.

No final de uma intervenção na qual defendia uma proposta sobre “segurança, recuperação e construção de reservatórios de armazenamento da água de rega”, o deputado criticou a “justiça podre na Madeira”.

“Estou a ser perseguido pela maioria do PSD”, declarou, classificando os juízes e magistrados do Ministério Público (MP) na região de serem o “braço armado” da maioria social-democrata e de "corruptos".

José Manuel Coelho, protestando pelo facto de ter o seu vencimento penhorado, acabou por despir a roupa e os sapatos, entregando-os ao presidente do Parlamento, José Tranquada Gomes, ficando apenas com boxers e chapéu, como reporta a Lusa.

O presidente da ALM suspendeu os trabalhos e instou os deputados a abandonarem a sala do plenário.

José Manuel Coelho recusou inicialmente deixar a sala, mas acabou por se deslocar ao café do Parlamento, ainda em cuecas..