A tradicional festa do PSD/Madeira, que decorre este dominfo na Herdade do Chão da Lagoa, ficou já marcada por duas passagens pelas tasquinhas, uma por Alberto João Jardim e outra pelo presidente da Câmara Municipal do Funchal, Miguel Albuquerque.

Alberto João Jardim foi o primeiro a iniciar a ronda, tendo uma hora depois sido a vez de Miguel Albuquerque, que criticou o facto de este ano não fazer uma intervenção política no evento, ao contrário do que era usual, com o autarca anfitrião a usar da palavra. «Acho que é um ato contrário aos interesses do partido, porque estamos em vésperas de um ato eleitoral muito importante para o PSD/Madeira, e a liderança, em vez de promover a unidade e a harmonia entre os militantes, faz exatamente o contrário», disse o presidente da Câmara do Funchal. Para Miguel Albuquerque - o único militante que, em 38 anos, disputou com Jardim, em novembro de 2012, as eleições internas no PSD/Madeira, tendo perdido por 142 votos -, «através destes atos de prepotência continua [a liderança de Alberto João Jardim] a dividir e a tentar amordaçar as pessoas e isso não é bom».

Confrontado com as críticas, Alberto João Jardim apenas afirmou que «o [que se passa no] interior do partido é sagrado».

Alberto João Jardim aproveitou a ocasião para sublinhar que o secretário-geral do PSD nacional, Matos Rosa, que no sábado visitou a Herdade do Chão da Lagoa e os preparativos da festa de hoje.

O líder do PSD/Madeira, na sua passagem pelas barracas instaladas no recinto da festa, abraçou, posou para fotografias, cantou, deu vivas, fez poncha, bebeu e experimentou várias iguarias, sempre em clima de festa e acompanhado por uma banda formada por militantes do partido.

«Ó senhor presidente, limpe a boca para tirarmos uma foto e levarmos para Inglaterra», gritou um popular, pedido imediatamente satisfeito por Jardim, que fez desaparecer alguns vestígios de maçaroca que comia. «Isto é o reforço para a volta. O meu pequeno-almoço foi uma laranja e uma banana», disse.

As intervenções políticas este ano vão estar a cargo do secretário-geral, Jaime Ramos, do presidente da JSD/Madeira, Rómulo Coelho, e de Alberto João Jardim.