O PS vai abster-se na quinta-feira, nas votações, na generalidade, dos projetos da maioria PSD/CDS sobre reforma das «secretas» e segredo de Estado, esperando também que os seus dois diplomas sobre segredo de Estado sejam igualmente viabilizados.

Esta posição da bancada socialista foi transmitida à agência Lusa pelo coordenador do PS na Comissão Parlamentar de Assuntos Constitucionais, Luís Pita Ameixa.

Luís Pita Ameixa afirmou esperar que em matérias de reforma dos serviços de informações e de regime de segredo do Estado seja depois possível, em sede de especialidade, chegar a um consenso com a maioria PSD/CDS.

«A reforma dos serviços de informações e a revisão do regime de segredo de Estado são questões em que há uma especial responsabilidade na existência de um amplo consenso político. São duas matérias que não podem ser aprovadas apenas por maiorias conjunturais na Assembleia da República», advertiu o deputado socialista eleito pelo círculo de Beja.

Interrogado se acredita, tal como propõe a maioria PSD/CDS, que a reforma dos serviços de informações esteja pronta ainda durante esta sessão legislativa, ou seja, até junho próximo, o dirigente socialista manifestou dúvidas, respondendo com um «vamos ver».

«O projeto do PS para a reforma dos serviços de informações entrou no parlamento em 2012 e tem estado sempre à espera [em sede de comissão] dos diplomas da maioria PSD/CDS. Isto tem andado a passo de caracol, talvez por causa das dificuldades de consenso interno na maioria governamental», referiu Luís Pita Ameixa.