O líder parlamentar do PSD defendeu hoje que a descida da taxa de desemprego em agosto face a julho, de 16,6% para 16,5%, revela uma «tendência positiva e já consistente» e mostra-se espantado com a reação do PS.

«Os números que hoje foram conhecidos são muito elucidativos porque revelam uma tendência muito positiva e já consistente de diminuição da nossa taxa de desemprego, estamos a falar de seis meses em que a taxa tem vindo a diminuir e é hoje cerca de 1% mais baixa do que em fevereiro deste ano», afirmou Luís Montenegro.

Numa declaração aos jornalistas, no Parlamento, o presidente do grupo parlamentar social-democrata ressalva que, contudo, «na maioria e no PSD ninguém desconhece que o desemprego em PT é elevado, não é de agora, e que o país se deve mobilizar de uma forma muito firme para inverter essa situação».

No entanto, Montenegro salientou que «até na comparação com o plano europeu, que Portugal já não é, como era, o segundo país com uma taxa de desemprego mais elevada, é o quinto país com uma taxa de desemprego mais elevada».

Para o líder da bancada do PSD, esta diminuição do desemprego «vem dar corpo ao esforço que os portugueses e que o país está a desenvolver, em consonância com o espírito renovador do Governo».

«De espantar é a reação dos partidos da oposição, em particular do Partido Socialista. Creio que ninguém compreende que, mais uma vez, perante um dado que é evidente e inequívoco, o Partido Socialista apareça zangado com essa circunstância, zangado com o facto de o desemprego estar a diminuir», acusou.

«Até parece que o PS desejava que o desemprego estivesse a aumentar para vir vangloriar-se do caminho errado que, no entender do PS, o Governo está a seguir. É bom que todos tenhamos confiança na capacidade do país, na capacidade de darmos a volta a uma situação gravíssima, e que vem sendo atestada não só por este indicador», argumentou.

CDS-PP também destaca «tendência positiva»<7b>

Também o CDS-PP defendeu que a taxa de desemprego segue uma «tendência positiva» de descida, «assinalável» igualmente ao nível do desemprego jovem, dando sinais «cada vez mais persistentes» de recuperação económica.

«Os números do desemprego revelam uma tendência, que é uma tendência positiva, é o quarto mês consecutivo em que a taxa de desemprego diminuiu», afirmou o porta-voz do CDS-PP, João Almeida.

O também vice-presidente da bancada centrista assinalou que, no contexto desta diminuição, o desemprego «já diminuiu mais de um ponto percentual e que isso significa que mais de 70 mil pessoas deixaram de estar em situação de desemprego».

«No último mês, o mais assinalável é que ao nível do desemprego jovem, que é uma preocupação muito grande, a redução é expressiva, estamos já com o menor desemprego jovem do último ano e meio», defendeu.

Para o CDS-PP, estes são «sinais ténues, mas são cada vez mais persistentes de que há um sentido de recuperação económica e isso tem reflexo também ao nível da recuperação do emprego».

«Ainda assim os valores continuam a ser muito altos, essa deve continuar a ser a principal preocupação, do ponto de vista político, é essa a visão do CDS», sublinhou.