O líder parlamentar do PSD lamentou esta quarta-feira a rutura do PS face ao acordo com a maioria PSD/CDS-PP sobre a reforma do IRC, acusando os socialistas de «arrogância» e eleitoralismo, sem qualquer contributo para a resolução dos problemas do país.

«Queríamos expressar o nosso profundo lamento pela circunstância de o PS ter feito uma rutura relativamente ao acordo que estabelecemos há um ano atrás em matéria de IRC», disse Luís Montenegro, após reunião do grupo parlamentar social-democrata, no parlamento.

O PS anunciou na sexta-feira ir propor a manutenção do IRC nos 23 por cento, no âmbito da discussão da proposta de Orçamento do Estado para 2015, alegando que a maioria PSD/CDS não cumpriu as condições do acordo celebrado há um ano.

Segundo Montenegro, os socialistas estão «muito interessados apenas nas eleições, em demonstrar afastamento relativamente à política da maioria e do Governo».

«Revela arrogância porque o PS só está disponível mesmo para governar, não está disponível para contribuir para resolver os assuntos do país, e revela fraqueza porque só uma liderança e um partido frágeis têm receio das consequências eleitorais de compromissos estabelecidos com a maioria e o Governo», continuou, acrescentando que a «imagem que o PS dá é a de que não está interessado em resolver os problemas concretos das pessoas, das empresas» e afeta ainda «a visão que, do exterior, os investidores têm do país».