O líder parlamentar do PSD destacou hoje o «caminho de recuperação» ao analisar os últimos dados sobre desemprego do Instituto Nacional de Estatística (INE), sem escamotear o ainda «elevado» problema que «aflige centenas de milhar de portugueses».

«Nós não escamoteamos a circunstância de ainda estarmos com um elevado desemprego em Portugal, uma taxa que ainda aflige muitas centenas de milhar de portugueses e respetivas famílias, mas há hoje uma realidade muito nítida e consistente, que denota que há um caminho de recuperação», afirmou Luís Montenegro nos Passos Perdidos do Parlamento.

A taxa de desemprego em Portugal foi de 15,3% no quarto trimestre do ano passado, 0,3 pontos percentuais abaixo do trimestre anterior e menos 1,6 pontos que no mesmo período de 2012, segundo o INE.

«Todas as perspetivas e estimativas relativamente a 2013 falharam, mas em benefício dos resultados, isto é, previam taxas de desemprego - todas elas - mais elevadas do que aquela que se veio a verificar», sublinhou.

O INE informou hoje que, entre outubro e dezembro, a população desempregada foi de 826,7 mil pessoas, o que representa uma diminuição homóloga de 10,5% e uma diminuição trimestral de 1,4% (menos 96,5 mil e menos 11,9 mil pessoas, respetivamente).

Já a população empregada foi de 4,56 milhões de pessoas, o que traduz um aumento homólogo de 0,7% e a um aumento trimestral de 0,2% (mais 29,7 mil e mais 7,9 mil pessoas, respetivamente).

«Estamos com um desemprego mais baixo, por um lado, e com uma taxa de emprego mais alta. Não só temos menos desempregados como temos tido a capacidade de criar novos postos de trabalho, que supera qualquer decréscimo da população ativa. Em termos líquidos há mais emprego (128 mil postos em 2013)», disse Montenegro.