no Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) do Porto 

“O que se passou no fim do mandato deste Governo com esta subconcessão feita às pressas do secretário de Estado dos Transportes foi um caso claro de uma má administração de um património que é de todos. Achamos que foi feito de uma forma apressada, pouco transparente e contra a vontade dos cidadãos, e era preciso fazer alguma coisa para combater este escândalo”