Dos 108 deputados eleitos pelo PSD em 2011, 49 estão fora das listas que foram aprovadas na quinta-feira à noite pelo Conselho Nacional deste partido, o que corresponde a cerca de 45%.

Por diferentes razões, Miguel Macedo, Miguel Relvas, Couto dos Santos, Pedro Lynce, Mota Amaral, José Manuel Canavarro, Mendes Bota, Manuel Meirinho, Fernando Nobre, Carlos Moedas e Almeida Henriques agora não se recandidatam e tinham sido todos cabeças de lista pelo PSD há quatro anos.

Assunção Esteves, Paulo Mota Pinto, Arménio Santos, António Rodrigues, António Prôa, Mónica Ferro, Francisca Almeida, Luís Menezes, Miguel Frasquilho também estavam entre os 108 deputados eleitos pelo PSD em 2011 e não repetem a candidatura ao parlamento.

Dos 54 atuais membros do Governo PSD/CDS-PP, são candidatos a deputados o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, o vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, mais sete dos treze ministros em funções, bem como uma dezena de secretários de Estado.

Os seis ministros que não se candidatam a deputados são Miguel Poiares Maduro, Paulo Macedo, Nuno Crato, Rui Machete, Anabela Rodrigues e António Pires de Lima.

Quanto às saídas das listas do PSD, nos Açores, onde os sociais-democratas elegeram três deputados, e na Madeira, onde elegeram quatro, a mudança é total. Em Viseu, dos cinco eleitos há quatro anos, só um é candidato. Em Lisboa, dos 18 eleitos nas anteriores legislativas, dez voltam a constar das listas, e dos 17 eleitos pelo Porto, saem seis.

Em contraste, todos os eleitos pelo PSD em 2011 nos círculos de Portalegre, Setúbal, Vila Real, da Europa e de Fora da Europa são novamente candidatos às legislativas de 04 de outubro, nas listas da coligação com o CDS-PP Portugal à Frente.


As estreias

Alguns dos candidatos indicados pelo PSD para as listas conjuntas com o CDS nunca foram deputados. É o caso de todos os candidatos pelas regiões autónomas, incluindo a cabeça de lista pelos Açores, Berta Cabral. Margarida Mano, Pedro Lomba, Miguel Morgado, Manuel Rodrigues, António Topa, Margarida Mano, Inês Domingos, Sandra Pereira são outras estreias, apurou a Lusa.

Entre os regressos, estão nomes como Luís Marques Guedes, Regina Bastos, Marco António Costa e Manuel Frexes, que tinham sido deputados eleitos pelo PSD em anteriores legislaturas, mas não fizeram parte das listas em 2011.

Vários presidentes de distritais do PSD - de Aveiro, Beja, Bragança, Castelo Branco, Coimbra, Évora, Guarda, Porto, Santarém, Setúbal - constam dos primeiros lugares das listas aprovadas na quinta-feira.