O vereador do Urbanismo da Câmara de Lisboa anunciou esta terça-feira que as obras na Segunda Circular, divididas em dois troços, vão “começar imediatamente”, estimando que a segunda empreitada, de maior dimensão, se inicie em agosto.

A Segunda Circular tem duas empreitadas diferentes. Tem uma empreitada, cujo contrato é assinado hoje e que, portanto, é para começar imediatamente, que é o troço entre a Avenida de Berlim e a entrada norte na cidade de Lisboa, na [autoestrada] A1”, disse Manuel Salgado em declarações à agência Lusa.

A intervenção neste troço, de cerca de três quilómetros, está orçada em 750 mil euros e tem um prazo máximo de 90 dias.

De maior dimensão é a obra que vai ser feita no troço entre o nó da Buraca e o Aeroporto (cerca de 10 quilómetros), com um prazo de oito meses e na qual serão investidos 12 milhões de euros.

Manuel Salgado afirmou à Lusa que o concurso público decorre até ao final de maio, altura depois da qual serão avaliadas as propostas para se escolher o vencedor e solicitar visto ao Tribunal de Contas.

Julgo que aí vão ser cerca de dois meses, sendo otimista e, portanto, penso que a segunda empreitada iniciar-se-á em agosto”, assinalou.

De acordo com o autarca, esta seria uma boa altura para começar, já que existem “menos incómodos” por ser período de férias.

Ainda assim, salientou que “a empreitada da Segunda Circular está excecionalmente bem programada nas suas intervenções todas, no modo de executar, por forma a reduzir ao mínimo o impacto que terá sobre os utilizadores”.

Isso inclui “fazer os trabalhos à noite” e ter uma sequência dos trabalhos faseada, assinalou.

A ideia é começar [a obra] do lado da Buraca até à ligação à Radial de Benfica, que é um dos eixos por onde entram mais pessoas na cidade de Lisboa, simultaneamente começar na Avenida de Berlim até [à rotunda] do Relógio, que é outro dos eixos pelo qual, desde a Avenida Almirante Gago Coutinho, entra muita gente na cidade, e depois ir aproximando para a zona central”, especificou.

Manuel Salgado adiantou que a autarquia pretende fazer esta segunda intervenção quando acabar a do primeiro troço.

Tendo o intuito de aumentar a segurança rodoviária, a fluidez do trânsito e a qualidade ambiental, a proposta da maioria PS no executivo municipal para a Segunda Circular foi alvo de grande discussão pública e de algumas críticas.

Por isso, foram feitas “correções técnicas nalguns entrecruzamentos, entradas e saídas”, bem como correções “no traçado do separador central” e nas espécies arbóreas que aqui vão ser plantadas, que serão freixos, assinalou Manuel Salgado.

O responsável referiu que se introduziu ainda “uma prioridade ao transporte público nas faixas da direita, principalmente nas entradas e saídas” e outros “aspetos de segurança”.

Ainda assim, tal como sempre se previu, a velocidade máxima passará de 80 para 60 quilómetros/hora, serão montadas barreiras acústicas e haverá reabilitação da drenagem e do piso e renovação da sinalética e da iluminação.

O objetivo é deixar a via, que liga a zona oriental e ocidental, preparada para ter “um autocarro especial”.

“Nós sempre dissemos que esta intervenção na Segunda Circular é um primeiro passo para uma Segunda Circular futura e este separador central é fundamental para que, no futuro, se possa introduzir um transporte público rápido, utilizando o espaço do separador central para colocar as paragens dos autocarros”, adiantou Manuel Salgado.