A coligação Portugal à Frente (PaF) elegeu no distrito de Lisboa 18 deputados, quando nas legislativas de 2011 o PSD e o CDS-PP conseguiram 25 mandatos, segundo os dados oficiais após o apuramento de todas as freguesias.

A coligação PaF, que junta PSD/CDS-PP, obteve mais votos no distrito de Lisboa nestas eleições legislativas, com 34,68 por cento dos votos, conseguindo 18 deputados.

Nas eleições de 2011, o PSD obteve 34,10 por cento (18 deputados) e o CDS-PP alcançou 13,78 por cento (07 deputados), totalizando então os partidos da coligação 47,88 por centos dos votos, segundo dados da secretaria-geral do Ministério da Administração Interna (MAI).

Segundo os dados do MAI, quando estavam apuradas as 134 freguesias do distrito, o PS obteve 33,54 por cento e 18 mandatos, os mesmos que a coligação PSD/CDS-PP.

O Bloco de Esquerda, com 10,89 por cento, conseguiu cinco deputados, o mesmo número alcançado pela CDU (PCP/PEV), com 09,83 por cento dos votos.

A surpresa da noite eleitoral foi, no entanto, para o Pessoas-Animais-Natureza (PAN), que através dos 22.583 votos (01,97%), conseguiu eleger pela primeira vez um deputado para o parlamento.

Em comparação com as anteriores legislativas, a CDU manteve os mesmos cinco mandatos pelo distrito de Lisboa, mas o Bloco de Esquerda subiu de três para cinco deputados.

Em 2011, o PAN foi a sexta força política mais votada, com 16.884 votos (01,44 por cento), mas sem conseguir então eleger qualquer deputado.

Mais de 9,6 milhões de eleitores recenseados no território nacional e no estrangeiro foram chamados às urnas a 04 de outubro para escolherem a constituição da Assembleia da República, de onde sairá o novo Governo.

Nestas eleições para a XIII Legislatura concorreram 16 forças políticas, das quais três coligações e 13 partidos.