O distrito de Leiria manteve-se fiel à direita nas eleições legislativas deste domingo, nas quais o Bloco de Esquerda (BE) reconquistou o mandato que perdeu há quatro anos, voltando a colocar Heitor de Sousa na Assembleia da República.

De acordo com os dados da Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna, a coligação Portugal à Frente (PSD/CDS-PP) conseguiu 48,42% dos votos e seis mandatos, o mesmo número de deputados que há quatro anos o PSD elegeu quando concorreu isoladamente e obteve 47 % dos votos. O CDS-PP, por sua vez, obteve em 2011 um mandato e 12,80% de votação.

O PS, que nas eleições legislativas de junho 2011 foi a segunda força política mais votada com três mandatos, resultado de uma votação de 20,71%, manteve hoje o mesmo número de deputados, mas subiu a votação para 24,82%.

Já o BE, que em 2011 teve 5,37% dos votos e perdeu o deputado que elegera dois anos antes, conseguiu hoje quase duplicar a votação (9,66%) e ser a terceira força política mais votada no distrito.

Dos 16 concelhos do distrito, a coligação Portugal à Frente ganhou em Alcobaça, Alvaiázere, Ansião, Batalha, Bombarral, Caldas da Rainha, Figueiró dos Vinhos, Leiria, Óbidos, Pedrógão Grande, Peniche, Pombal e Porto de Mós. Castanheira de Pera, Marinha Grande e Nazaré deram a maioria dos votos ao PS.

Foram eleitos deputados pelo círculo eleitoral de Leiria Teresa Morais, Feliciano Barreiras Duarte, Pedro Pimpão, Assunção Cristas, Margarida Balseiro Lopes e José António Silva pela coligação Portugal à Frente; Margarida Marques, António Sales e José Miguel Medeiros pelo PS; e Heitor de Sousa pelo Bloco de Esquerda.

A abstenção no distrito, onde concorreram 15 forças partidárias, foi de 43,74%, representando um aumento quando comparada às legislativas de 2011, que se situou nos 41,45%, contrariando a tendência nacional.