O presidente da Câmara do Porto, o independente Rui Moreira, afirmou esta terça-feira que nas eleições legislativas de setembro ou outubro não apoiará qualquer candidato ou candidatura.

“O presidente da Câmara do Porto não apoiará nenhum candidato nem nenhuma candidatura. Com certeza que as legislativas [deste ano] vão absorver os portugueses e, com certeza haverá algumas pessoas que estiveram na minha candidatura que apoiarão partidos diferentes. Eu, no dia dos votos votarei, mas manterei o meu silêncio. A nossa candidatura disse que se candidatava pelo Porto. Portanto, estamos cá pelo Porto. Eu estou cá pelo Porto.”


Rui Moreira negou a hipótese de a coligação pós-eleitoral com o PS na Câmara do Porto ficar beliscada por não apoiar o candidato socialista às legislativas, António Costa, assegurando que nunca será candidato por nenhum partido, seja qual for o lugar em causa.

O autarca fez esta declaração aos jornalistas à margem de uma cerimónia na empresa municipal Águas do Porto.

“Eu sempre disse: sou independente. Nunca me verão ser candidato por nenhuma força política, seja para que cargo for. Compreenderão nesta circunstância que também não me pedirão para apoiar forças políticas relativamente a combates que não são os nossos.”


“Cada um de nós tem direito a ter as suas convicções”, acrescentou o autarca, considerando natural que as pessoas ligadas ao seu movimento “façam nesta altura as suas escolhas”.

“Isso não me vincula, não me abrange. Estou aqui pelo Porto. Nunca quis aceitar quaisquer outros desafios, manter-me-ei afastado destas questões. Um movimento independente é isso mesmo. Haverá pessoas que me apoiaram e que espero que, se me voltar a candidatar, votem em mim e que farão as suas escolhas e votarão nas pessoas que entenderem.”


O jornal "Público" noticia esta terça-feira que Nuno Botelho, presidente da Associação Comercial do Porto e ex-diretor de campanha de Rui Moreira “vai integrar a comissão política da coligação PSD/CDS” para “condicionar um eventual apoio do presidente da Câmara do Porto ao secretário-geral do PS”.

Questionado sobre a coligação pós-eleitoral com o PS na autarquia, Moreira respondeu “com certeza que não” à eventualidade de a mesma ser afetada por não apoiar António Costa.

“A nossa coligação no Porto está bem e de boa saúde”, disse o autarca, destacando o bom trabalho feito em prol da cidade, “independentemente das cores partidárias” da coligação que gere o município.

Moreira lembrou também que as suas listas nas eleições de 2013 foram compostas por “pessoas do CDS, pessoas do PSD, que se desfiliaram e entretanto já se filiaram, do PS, com tradição da CDU, com tradição do BE” e que todas elas agora “farão as suas escolhas”.

O autarca declinou ainda qualquer possibilidade de vir a alterar o silêncio perante a proximidade das legislativas deste ano e assegurou que também não dará o apoio a qualquer candidato presidencial, mesmo que todos eles sejam, “por natureza, independentes”.

Rui Moreira venceu em setembro de 2013 as eleições autárquicas para a Câmara do Porto, tornando-se no primeiro independente a assumir os destinos da segunda maior cidade do país.

Eleito sem maioria absoluta, tomou posse a 22 de outubro, já depois de ter assinado com o PS um acordo pós-eleitoral para garantir a governabilidade da cidade, numa cerimónia que contou com a presença de António Costa.

Moreira sucedeu a Rui Rio, o social-democrata que liderou a autarquia portuense durante 13 anos, em coligação com o CDS.