"Ninguém tem nada contra a emigração e até acho que nalguns percursos de vida é algo de natural e que as pessoas gostam de fazer. O problema é que quando falamos em meio milhão a sair em poucos anos, estamos a falar de pessoas que autenticamente são expulsas do país", declarou a dirigente bloquista durante o lançamento oficial da campanha eleitoral na capital francesa junto dos emigrantes.








"Hoje, aquela ideia do regresso a Portugal para a emigração antiga parece uma coisa do outro mundo porque desapareceu. Jamais a emigração que veio nos anos 60 voltará e os novos que vêm com a mesma ideia de regressar [a Portugal] nunca mais vão regressar também", afirmou José de Barros, que chegou a França em 1964, e que entregou a Catarina Martins o estudo promovido pela Santa Casa "Os Portugueses na Hora da Reforma".