O líder do PSD assinalou este sábado a posição próxima e alinhada do seu partido e da Nova Democracia grega sobre a estratégia necessária para superar as insuficiências dos modelos que estão a ser executados em Portugal e na Grécia.

Numa declaração aos jornalistas no final de um encontro com o líder da Nova democracia, Kyriakos Mitsotakis, o presidente social-democrata, Pedro Passos Coelho, adiantou que na reunião foram trocadas impressões sobre o que se passa em Portugal e assinalou o facto de ser "muito útil que a experiência grega possa também ser avaliada aos olhos do portugueses".

O que melhor se extrai da nossa conversa é que, tratando-se ambos de líderes de partidos que estão na oposição, nos cabe em qualquer caso, na Grécia como em Portugal, olhar para o futuro e apresentar uma visão de estratégia para o futuro que possa superar aquilo que são as insuficiências dos modelos que estão a ser executados nos dois países e creio que a posição dos nossos dois partidos é uma visão bastante próxima e bastante alinhada", disse.

No encontro, que decorreu em Castelo de Vide, na Universidade de Verão do PSD, foram também trocadas impressões sobre a situação europeia e sobre a importância que o PPE pode ter para responder à saída do Reino Unido da União Europeia (UE) e em relação às reformas necessária na União Económica e Monetária e na UE para vencer os "populismos emergentes", acrescentou o líder do PSD.

Creio que o PPE é com certeza uma plataforma de partidos que oferece nesta altura uma visão mais inconformada e que melhor pode liderar essa reforma europeia que é tão necessária para superar bem as dificuldades, sobretudo políticas, que decorrerão da saída do Reino Unido da União Europeia", disse Passos Coelho.

No final do encontro, Kyriakos Mitsotakis, que lidera neste momento as sondagens na Grécia, também falou aos jornalistas. O líder da Nova Democracia grega, assinalou a proximidade de ideias com o PSD, exortando o seu partido e os sociais-democratas portugueses a lutarem contra o populismo.

A Nova democracia e o PSD têm o dever de lutar contra o populismo, não se tornando também populista, mas resistindo à tentação de dizer as coisas mais fáceis e simpáticas", afirmou.

Falando perante os "alunos" da Universidade de Verão do PSD, que termina domingo em Castelo de Vide, o líder da Nova Democracia vincou a necessidade de dizer a verdade às pessoas, sublinhando que a solução em Portugal e na Grécia só pode vir do centro-direita, porque a esquerda não consegue ser uma alternativa credível.