O deputado social-democrata e presidente da JSD Hugo Soares afirmou, esta sexta-feira, que o seu partido deu um «grande exemplo de pluralidade» na votação sobre a coadoção, votação essa que demonstrou uma «necessidade» de alargar o debate à sociedade.

«A forma como a votação decorreu demonstra como este diploma divide o parlamento, divide os partidos em si e está até à mercê de uma qualquer composição conjuntural da casa da democracia», disse o deputado aos jornalistas no parlamento.

Hugo Soares falava ladeado pelos deputados da JSD no parlamento, no dia em que o projeto do PS de coadoção de crianças por casais homossexuais foi chumbado na especialidade, com 112 votos contra, 4 abstenções e 107 votos a favor.

Questionado sobre um eventual retomar de um projeto de referendo sobre a matéria, depois do primeiro ter sido chumbado pelo Tribunal Constitucional (TC), Hugo Soares remeteu uma decisão para depois das eleições europeias de 25 de maio.

«Esta é uma matéria que não acredito que possa ser decidida que não seja através de um referendo. A seu tempo, depois das eleições europeias, voltaremos a falar nesta matéria», declarou o parlamentar.

Para o social-democrata, ficou hoje «bem claro» que não é evidente para todos que as normas do projeto do PS «visem proteger de forma absoluta o superior interesse da criança», aquilo que para o PSD «esteve sempre em causa».

«Os resultados nas votações são por demais evidentes de que há uma necessidade de fazermos este debate na sociedade. Entendemos que tínhamos razão na altura e continuamos a achar que temos razão agora», sublinhou ainda sobre um referendo para a matéria, deixando a porta aberta para o retomar do projeto após as europeias.