José Sócrates esteve em sua casa, em Lisboa, a acompanhar as buscas realizadas pelas autoridades, no âmbito do processo pelo qual foi detido esta sexta-feira à noite.
 
A TVI testemunhou a saída do ex-primeiro-ministro, quando vários agentes da PSP pararam o trânsito e criaram um perímetro de segurança para afastar os jornalistas da garagem do edifício.
 
Para além dos quatro carros que saíram da residência de Sócrates, entre os quais o que transportou o ex-PM até ao Campus da Justiça, estiveram no local mais dois veículos identificados da PSP e ainda uma carrinha do corpo de intervenção.
 
Entretanto, José Sócrates já chegou ao Campus da Justiça, por volta das 16:45, onde vai ser ouvido pelo juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal Carlos Alexandre.

 
O ex-governante chegou numa viatura descaracterizada e em marcha de emergência.
 
À sua espera estavam alguns membros do PNR, com algumas bandeiras , que insultaram e assobiaram José Sócrates ( veja o vídeo ).

O ex-primeiro-ministro foi detido na sexta-feira à noite, quando chegava ao aeroporto de Lisboa proveniente de Paris, no âmbito de um processo de suspeitas de crimes de fraude fiscal, branqueamento de capitais e corrupção.

Esta é a primeira vez na história da democracia portuguesa que um antigo primeiro-ministro é detido para interrogatório.

Além de Sócrates, foram detidos, na quinta-feira, o empresário Carlos Santos Silva, o advogado Gonçalo Trindade Ferreira e o motorista João Perna, anunciou a Procuradoria-Geral da República.

A PGR esclareceu também que o «inquérito teve origem numa comunicação bancária efetuada ao Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP)» e «operações bancárias, movimentos e transferências de dinheiro sem justificação conhecida e legalmente admissível».