O ex-primeiro-ministro José Sócrates vai ser ouvido na segunda-feira pelo juiz Carlos Alexandre no Tribunal Central de Instrução Criminal. A notícia é avançada pelo jornal «Correio da Manhã» e confirmada pela TVI

A TVI sabe que o Ministério Público tem novas provas em mãos, recolhidas em diligências levadas a cabo nos últimos meses. Tratam-se de indícios com os quais Sócrates será confrontado e que podem fazer cair por terra o recurso contra a prisão preventiva, entregue no Tribunal da Relação.
 
Na segunda-feira, o Tribunal Central de Investigação Criminal vai reavaliar os pressupostos da prisão preventiva e espera-se que o juiz Carlos Alexandre profira despacho até ao dia seguinte, data em que faz três meses que o ex-governante está em preventiva.
 
Esta decisão é autónoma do recurso apresentado no Tribunal da Relação de Lisboa, que se centra no despacho de prisão preventiva de 24 de novembro.



Detido há três meses



Na noite de 21 para 22 de novembro o país parou com a notícia da detenção do ex-primeiro-ministro, José Sócrates, à sua chegada a Lisboa. Nunca um ex-chefe de Governo tinha sido detido na história da democracia portuguesa.  

Nos dias seguintes, o ex-primeiro-ministro foi ouvido no Campus de Justiça, em Lisboa, pelo juiz Carlos Alexandre, que acabaria por determinar ao ex-primeiro-ministro a medida de coação mais gravosa que a lei portuguesa permite: a prisão preventiva. Está detido no Estabelecimento Prisional de Évora desde então, por suspeitas dos crimes de corrupção, branqueamento de capitais e fraude fiscal. 

Leia também
VÍDEO: enttrevista de Sócrates à TVI