Passos Coelho ter afirmado que nunca usou o cargo «para enriquecer, para prestar favores ou para viver fora das suas possibilidades»