O ex-primeiro ministro José Sócrates deixou de pertencer aos quadros técnicos da Câmara Municipal da Covilhã, segundo informação prestada formalmente esta sexta-feira e «para conhecimento» aos vereadores da autarquia.

O documento fazia parte da ordem de trabalhos da reunião ordinária pública do executivo, mas nem o presidente da câmara, Carlos Pinto, fez a apresentação prévia, nem os vereadores fizeram qualquer intervenção sobre o assunto.

O pedido de José Sócrates é muito curto e não invoca qualquer razão para o fim do vínculo laboral, limitando-se a pedir a exoneração do cargo, ao abrigo da lei.

A câmara aceitou e o despacho já foi aprovado.

O ex-primeiro-ministro de Portugal era engenheiro técnico do município da Covilhã desde 1980.

José Sócrates, que estava há cerca de 20 anos com licença sem vencimento, saiu da Câmara da Covilhã em 1988, para exercer, em regime de dedicação exclusiva, o mandato de deputado à Assembleia da República, eleito pelo círculo de Castelo Branco, não tendo desde então voltado a ocupar o lugar.