O deputado do PSD e vice-presidente da Assembleia da República Guilherme Silva afirmou hoje que a «mediatização» em torno da detenção do ex-primeiro-ministro José Sócrates «atenta contra» a sua «dignidade» e «direitos constitucionais».

«Os cidadãos devem ser, do ponto de vista dos seus direitos constitucionais e da sua dignidade, tratados todos ao mesmo nível, seja um ex-primeiro-ministro, seja um cidadão comum. Infelizmente, essa mediatização atenta contra o caso concreto do ex-primeiro-ministro», declarou o parlamentar social-democrata, eleito pela Madeira, após a votação do orçamento do Estado para 2015 (OE2015).


Guilherme Silva fora questionado sobre um texto do presidente do Governo Regional da Madeira, o também social-democrata Alberto João Jardim, que defendia a existência de uma «situação preocupante dos Direitos Humanos em Portugal», referindo-se ao processo que culminou na prisão preventiva de Sócrates.

O antigo líder socialista vai ficar detido no Estabelecimento Prisional de Évora depois de ter sido indiciado por fraude fiscal qualificada, branqueamento de capitais e corrupção. Outros dois arguidos em prisão preventiva ficaram no Estabelecimento Prisional Anexo às Instalações da Policia Judiciária, na rua Gomes Freire, em Lisboa.

«Vi uma referência de preocupação do ponto de vista dos direitos fundamentais relativamente à mediatização e espetáculo à volta da situação do ex-primeiro-ministro, Sócrates. Nessa medida, acho que tem razão e precisamos todos de reponderar esses aspetos», afirmara ainda Guilherme Silva.