“É por isso que não devemos estranhar a circunstância de as vezes que tentámos termos ganho a eleição para o Conselho de Segurança das Nações Unidas. Não se faz por acaso”, afirmou Jorge Sampaio no salão nobre da Câmara Municipal de Matosinhos.




“Intelectualmente vim para trás 500 anos e pensei o que é que seria, qual era a sensação daquelas pequenas caravelas chegarem ali, darem a volta para o desconhecido, aquele pequeno povo, mas que afinal de contas tinha atrás de si ciência, astronomia, uma grande força”, referiu.