João Semedo, um dos coordenadores do Bloco de Esquerda (BE), diz que o partido «não teve candidaturas credíveis a presidências de câmara, excepto em Salvaterra». Isto, apesar de ele ser, a par com Catarina Martins, dirigente máximo do partido e ter sido, ele próprio, candidato à Câmara de Lisboa.

Numa entrevista à Antena1, o dirigente bloquista considera ainda que a atual direção do partido «não teve qualquer responsabilidades pessoais directas nos resultados».

«Nós há muito anos que temos um mau trabalho local», admitiu, acrescentando, ainda assim que «quem quiser discutir a nossa demissão no interior do Bloco é livre de o fazer».

Na mesma entrevista, João Semedo disse que, se fosse Primeiro-ministro, demitia-se na sequência dos resultados obidos nas eleições de domingo e considera que «o Governo ficou mais isolado e mais fraco» depois das autárquicas.