O líder parlamentar comunista mostrou-se, neste sábado, despreocupado com o recente encontro entre o primeiro-ministro e o líder da oposição, após o debate na Assembleia da República, e que o candidato presidencial Marcelo Rebelo de Sousa classificou de "aproximação natural".

"Não temos de nos preocupar ou deixar de preocupar com aquilo que são as reuniões que o PS faz. Aquilo que preocupa o PCP é haver uma política que corresponda aos anseios dos trabalhadores e dos portugueses", disse o deputado do PCP João Oliveira, numa ação de campanha do candidato comunista Edgar Silva, no Alentejo.

Segundo o parlamentar, o seu partido faz a sua parte, discutindo com quem tem de discutir, afirmando as suas posições e soluções para os problemas do país e, "se outros tratarem de fazer o mesmo talvez possam dar um contributo para que as coisas se alterem".

"Agora, não temos de fazer juízos de censura ou não sobre os encontros que eles têm. Isso é da responsabilidade de cada um", declarou.

João Oliveira destacou o "envolvimento e disponibilidade crescentes em torno da candidatura" do madeirense, "que dá a perspetiva de que as eleições não tenham um desfecho à primeira volta e que os objetivos de PSD e CDS-PP não sejam alcançados, ou seja, a eleição de Marcelo Rebelo de Sousa".

"Daquilo que se vai vivendo e sentindo, julgo que pode contrariar e, de alguma forma, surpreender aqueles que acham que as presidenciais são favas contadas", antecipou.