O cabeça de lista da CDU ao Parlamento Europeu afirmou esta sexta-feira que a presença do antigo primeiro-ministro socialista na campanha «é para entreter», preferindo discutir formas de aliviar a carga fiscal em Portugal.

«Esse é um bom tema para entreter quem não quer discutir os reais problemas do país. É natural que aqueles que estão comprometidos com os problemas que o país hoje enfrenta se entretenham nesse tipo de discussões. Há vários rostos responsáveis, mas, sobretudo, três partidos (PS, PSD e CDS-PP) que partilham responsabilidades», disse João Ferreira, numa «arruada» de razoável dimensão em Braga.

O eurodeputado repetiu o lema do dia, sob o raios solares e o calor humano do Minho: «também aqui no norte, a CDU está cada vez mais forte».

«Ficámos a saber que, nos últimos 14 anos, a carga fiscal suportada pelas famílias e os trabalhadores portugueses aumentou consideravelmente e cada português paga, relativamente ao ano 2000, mais 1.800 euros de impostos por ano. A CDU tem propostas para contrariar este caminho», assegurou o também vereador da Câmara Municipal de Lisboa.

João Ferreira defendeu que «há que aliviar a carga fiscal sobre as pequenas e médias empresas, os trabalhadores e as famílias e chamar os grandes grupos económicos a um maior contributo».