A procuradora-geral da República disse esta sexta-feira esperar que se resolva a questão da diferença salarial entre procuradores que acompanham ou não julgamentos, dizendo que é «muito prejudicial» para a ação do Ministério Público.

«Esse é um assunto de grande preocupação para a Procuradoria-geral da República e o Conselho Superior do Ministério Público», disse Joana Marques Vidal aos jornalistas, em Ponta Delgada, nos Açores, depois de questionada sobre a diferença nas remunerações dos procuradores, que favorece aqueles que acompanham julgamentos.

A PGR sublinhou que esta questão «já foi presente» à ministra da Justiça, assim como deliberações do Conselho Superior do Ministério Público sobre o mesmo assunto, tendo Paula Teixeira da Cruz revelado «abertura» para estudar uma «resolução do problema».

«Esperamos agora que de facto se consiga ultrapassar essa diferença e haja realmente uma resolução dessa questão, porque é muito prejudicial para a ação do Ministério Público», afirmou Joana Marques Vidal.