O secretário-geral do PCP afirmou esta quinta-feira que o Governo tem «dois pesos e duas medidas», para os trabalhadores e para o grande capital, ao comentar a anunciada redução da Taxa Social Única (TSU) das empresas.
 

«Esse anúncio confirma a existência de um Governo com dois pesos e duas medidas, muito preocupado em baixar os impostos ao grande capital, aos grandes grupos económico-financeiros, pela via do IRC, e agora visando reduzir a TSU, ou seja, os descontos da entidade patronal para a Segurança Social».


O vice-presidente do PSD Marco António Costa tinha defendido publicamente uma baixa da TSU como forma de criar emprego e garantiu que a medida será construída em concertação social, esclarecendo tratar-se de uma proposta «muito diferente» daquela que foi tentada em 2012.
 

«Nunca pensa reduzir a carga brutal que hoje existe dos impostos sobre o rendimento do trabalho, nunca pensa em devolver aquilo que foi roubado nos salários, pensões e reformas. O mesmo Governo que hoje proclama a necessidade de maior sustentabilidade da Segurança Social encontra como medida baixar a TSU. Dois pesos e duas medidas. Nunca tem pressa em fazer justiça, sempre preocupado em dar benefícios e privilégios ao grande capital».


Jerónimo de Sousa concluiu que, «obviamente, tocando na TSU das grandes empresas, inevitavelmente, levantam um grande problema - a tal sustentabilidade da Segurança Social».
 

«Aquilo que se impunha era criar condições para repor aquilo que é devido a quem trabalha ou trabalhou, o Governo faz ao contrário».