O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, afirmou hoje que os três primeiros dias de Marcelo Rebelo de Sousa na Presidência da República ainda fazem lembrar a campanha eleitoral.

"Foram três dias ainda de uma certa entronização, mas em que continua, enfim, com uma campanha mais dinâmica do que a campanha que fez para as presidenciais", afirmou.

Jerónimo de Sousa falava na Covilhã, à margem do lançamento do livro "As Pinturas do Salão dos Continentes na Casa das Morgadas e Arte na Covilhã no início do século XVIII", que documenta o processo de reabilitação de pinturas protobarrocas, que figuram no Centro de Trabalho do PCP, naquela cidade. Uma cerimónia que também contou com a presença do ministro da Cultura, João Soares.

Em declarações aos jornalistas, e questionado sobre se ao fim dos primeiros dias de exercício o Presidente da República já merece o aplauso do PCP, Jerónimo de Sousa explicou que, do que viu e ouviu, ficou com a ideia de que ainda se está em campanha.

"Enfim, tem o direito de o fazer, naturalmente, nas suas deslocações, mas mais parecia isso [campanha] do que propriamente visitas de Estado", acrescentou.

O secretário-geral do PCP sublinhou ainda que, por enquanto, continua a citar o ditado que diz que "de boas intenções está o inferno cheio", e acrescentou ainda que "de boas palavras estão os portugueses conhecedores e fartos".