O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, acusou o PSD, CDS e Marcelo Rebelo de Sousa de serem uns "fiteiros" por fingirem não precisar um dos outros e garantiu que o partido está "unido", tendo "voto certo" em Edgar Silva nas eleições presidências.

Em Braga, para uma ceia de Natal, Jerónimo de Sousa considerou ainda que a "direita" está "ressabiada" com a nova realidade politica e alertou que PSD e CDS querem ganhar nas presidenciais o que perderam nas legislativas

Sobre a "nova situação política e institucional" do país, o secretário-geral do PCP reafirmou o "empenho" em que o atual Governo, socialista, tenha " vida mais longa quanto possível" e que pode contar com o Partido Comunista para "o que for bom" para os trabalhadores mas, avisou, que o que não for "favorável" ao povo não terá o apoio dos comunistas.

"Andam para aí umas sondagens a dizer que PCP está em queda, está dividido coma nova situação política que está criada, que até 30% dos eleitores da CDU iam votar em Marcelo Rebelo de Sousa. É razão para dizer escolham outro, porque o PCP está unido e tem o voto certo na candidatura do camarada Edgar silva", garantiu o líder comunista, citado pela Lusa.

Para Jerónimo de Sousa, a "razão de fundo" do ataque ao PCP é a "derrota" do PSD e CDS nas eleições legislativas-

"A direta ficou zangada, ressabiada, porque foram vítimas da sua própria mentira".


Por isso, segundo o secretário-geral do PCP, pela derrota eleitoral nas legislativas, as eleições presidenciais assumem para PSD e CDS uma outra importância.

"A questão que se coloca no dia 24 de janeiro [data para a qual estão marcadas as eleições presidenciais] é saber se é verdade isso que dizem que o nosso eleitorado CDU, que alguns se inclinam para votar em Marcelo Rebelo de Sousa. Nos não acreditamos nisto. Mas se alguém o pensar fazer que pense nisto: está a votar tal qual votam passos Coelho e Paulo Portas", analisou. "É tanto mais importante quanto percebermos que PSD e CDS tentam ganhar nas presidenciais o que perderam nas legislativas", concluiu.

Sobre os apoios a Marcelo Rebelo de Sousa, Jerónimo de Sousa acusou o professor, PSD e CDS e estarem a fingir distâncias.

"Até parecem envergonhados em apoiar Marcelo Rebelo de Sousa e ele põe-se com ares de distanciamento do PSD e CDS. São todos uns fiteiros porque Marcelo Rebelo de Sousa precisa do apoio de PSD e CDS e PSD e CDS precisam do candidato para continuarem a sua ‘vendetta’ contra o que aconteceu dia 4 de outubro"


No discurso perante mais de 300 pessoas, o líder comunista deixou ainda avisos ao PS, mas também algumas garantias.

"Da parte do PCP estaremos empenhados na construção de um futuro melhor, embora com esta ideia: é um governo do PS não e um governo de coligação, não é um governo de base parlamentar é um governo que connosco negociou uma posição conjunta", explicou assim o apoio ao Governo liderado por António Costa.

"Estando empenhados para que este Governo tenha a vida mais longa tanto possível, dizemos que o nosso compromisso é com os trabalhadores e não com mais ninguém", disse, deixando um aviso.

"Tudo o que for bom para os trabalhadores e para o povo terá o voto favorável do PCP, o que noa for favorável aos trabalhadores e ao povo não terá o poio do PCP", disse.