O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, defendeu hoje que os pedidos de desculpa dão pouco consolo aos portugueses, apontando como caminho a seguir a demissão de todo o Governo, em vez da saída de um ou outro ministro.

«Consolam pouco esses pedidos de desculpas, porque o Governo estava consciente da situação. Mais importante do que um pedido de desculpas era uma saída airosa, a demissão não deste ou daquele ministro, porque no fundamental o primeiro-ministro é o primeiro responsável: consideramos que o importante era a demissão deste Governo», alegou.

No final da inauguração das novas instalações do PCP na cidade de Viseu, que ocorreu ao final da manhã, Jerónimo de Sousa realçou que os pedidos de desculpa poderiam ter sido evitados.

«Os pedidos de desculpa poderiam ter sido evitados se tivessem ouvido o PCP em relação ao mapa judiciário e à sua aplicação informática, em relação ao próprio processo da abertura do ano escolar. Alertamos e avisamos, conjuntamente com as organizações dos professores, mas infelizmente fizeram orelhas moucas», sustentou.

Aos jornalistas, o líder do PCP realçou a importância de se enveredar por um outro caminho político, insistindo na demissão do Governo.

«Consideramos que o importante era a demissão deste Governo, que vem juntar mais peças à situação de agravamento económico e social de um país a andar para trás. Passos Coelho e o Governo insistem que é o melhor dos mundos e que agora estamos a caminho da recuperação, quando é sabido que hoje, tendo em conta a situação na educação, justiça, saúde, desemprego, a pobreza que fustiga os portugueses, o melhor caminho não era demitir este ou aquele ministro», apontou.