O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, afirmou na sexta-feira à noite que “o conflito da guerra está latente em várias regiões do planeta”, e alertou para o crescimento da xenofobia e do fascismo na Europa.

“É neste ponto que estamos, numa situação de grande complexidade, num mundo cada vez mais perigoso, em que o conflito da guerra está latente em várias regiões do planeta, em que o capitalismo em crise procura encontrar como solução aumentar a exploração e o empobrecimento dos pobres, em que as botas cardadas já se ouvem marchar em muitos pontos do planeta”, disse Jerónimo de Sousa, citado pela Lusa.

O dirigente comunista discursava num jantar com militantes e simpatizantes na Horta, ilha do Faial, Açores, e, sem mencionar os acontecimentos em Nice, França, ou na Turquia, salientou que “a situação é perigosa, preocupante”.

“Em momentos da História da Humanidade, muitas vezes se levantavam sombras negras em que tudo parecia perdido para sempre, particularmente no conflito da II Guerra Mundial, em que o fascismo e o nazismo iam cada vez mais aumentando a sua influência, em que parecia não haver esperança e os povos, no entanto, foram capazes de resistir, avançar e derrotar a besta fascista”, referiu.

E se hoje “não existe uma figura hitleriana”, mantêm-se, contudo, para Jerónimo de Sousa “preocupações tendo em conta hoje o crescimento da xenofobia, do racismo, do nazi-fascismo em muitos países da Europa”.

“Não percamos o sentimento da vontade da esperança e da paz porque é com elas que nós conseguimos avançar”, acrescentou.