O secretário-geral do PCP classificou hoje o alegado convite do antigo primeiro ministro socialista José Sócrates ao atual líder do executivo da maioria PSD/CDS-PP de «lógico», admitindo nova «convergência» entretanto, a favor do «capital» e da «direita».

«Foi um convite - não sabíamos - mas foi um convite lógico. Reflete uma convergência e uma identificação em relação a questões que são estruturais», afirmou Jerónimo de Sousa, após reunião com «Os Verdes», na sede comunista de Lisboa, para analisar os resultados autárquicos.

Para o líder e deputado do PCP, «pode ser que a situação seja tanto de aperto que» PSD e PS «juntem forças para prosseguir a mesma política» porque «o objetivo é esse».

«O capital e a direita precisam de ter sempre como solução uma alternância e não uma alternativa. Portanto, não quiseram queimar essa etapa, a alternância, e por isso essa recusa», afirmou, referindo-se às recentes declarações de Sócrates.