“Com a indigitação e tomada de posse do Governo de iniciativa PS, foi finalmente dada consequência política e institucional à vontade dos trabalhadores e do povo português, que, primeiro com a sua ampla e vigorosa luta e depois com o seu voto, criou as condições para pôr um ponto final à desastrosa governação da coligação PSD/CDS e à sua política de exploração e empobrecimento conduzida nos últimos quatro anos”, considerou Jerónimo de Sousa.






“De facto, Cavaco Silva em todo este processo optou por fazer tudo para transformar um ato de normalidade democrática, numa crise política e num quadro de patente confrontação com outros órgãos de soberania”, acrescentou.