O secretário-geral do PCP defendeu esta sexta-feira que o desfile do 25 de abril mostra que os valores da revolução estão «arreigados no coração dos portugueses», uma manifestação para a qual o presidente da Republica tem «vistas curtas».

«O presidente da República continua a ter vistas curtas em relação a esta grande manifestação, numa demonstração clara que vale mais do que qualquer discurso, que o 25 de abril continua arreigado no coração do povo português», afirmou o líder comunista, Jerónimo de Sousa, aos jornalistas.

Jerónimo de Sousa integrou a manifestação do 25 de abril que saiu do Marquês de Pombal rumo ao Rossio.

Para o líder comunista, este desfile é «como um rio para onde desaguaram vários afluentes, designadamente a iniciativa do Carmo, onde os militares quiseram afirmar o seu papel no 25 de Abril».

«Mas nada retira, de facto, valor a esta grande manifestação, em Lisboa, na avenida da Liberdade, que podia ser multiplicada porque há muitos sítios que não aparecerão na comunicação social, em muitas cidades e em muitas vilas», afirmou.

Jerónimo de Sousa considerou que a participação popular no desfile transmite «uma ideia fundamental»: «Abril valeu a pena, Abril vale a pena, os seus valores continuam presentes e permanentes tanto naqueles que os viveram, como naqueles que não os viveram, mas que os sentem».

Cerca das 17:00, a praça do Rossio já estava cheia de pessoas que juntaram para comemorar o 25 de abril, num momento em que o fim da manifestação ainda descia a avenida da Liberdade.