Na sua primeira viagem à Europa na função de secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, afirmou que está na altura de normalizar a relação entre a NATO e a Rússia, suspensa em Agosto, altura em que rebentou o conflito na Geórgia. «É hora de recomeçar», declarou Clinton citada pelo El País.

Os países que no passado estavam submetidos ao domínio de Moscovo temem que esta aproximação possa pôr em causa a sua segurança. O principal medo é o de que Washington ceda às influências políticas de Moscovo. Mas Clinton já disse que «vai respeitar o compromisso do Artigo 5», que prevê que um ataque feito a um país da NATO é considerado um ataque contra todos os outros países membros. «Apoiamos todos os países aliados. Estamos conscientes das preocupações da alguns países em relação à abertura do diálogo com a Rússia», referiu em conferência de imprensa.

Dmitri Rogozin, embaixador russo da Aliança Atlântica, considera esta «uma grande derrota do lado da guerra fria».

A primeira reunião entre embaixadores aliados com Rogozin está prevista para Abril, em Estrasburgo, na cimeira que comemora os 60 anos da Aliança. Em discussão estarão temas de interesse comum como Afeganistão, o controlo de armamento e a guerra contra o terrorismo.