A Procuradoria-Geral da República (PGR) revelou este domingo que já abriu um inquérito para averiguar a queixa do Partido Socialista (PS), que diz estar a ser «alvo escutas ilegais».

Num comunicado enviado às redações, a PGR diz que deu «entrada uma participação entregue pelo chefe do gabinete do secretário-geral do PS, relativa a eventuais interceções nas suas comunicações».

«De imediato foi ordenada a instauração de inquérito para investigar tais suspeitas», lê-se na nota enviada à imprensa.

PS tem «dúvidas fundadas» de que está a ser alvo de escutas



O Partido Socialista entregou uma queixa na PGR a solicitar uma investigação já que tem «dúvidas fundadas» de que vários meios podem estar a ser «alvo de escutas ilegais».



O pedido de investigação à Procuradoria-Geral da República foi feito no mesmo dia em que o secretário-geral do PS, António José Seguro, anunciou o fim das negociações com o PSD e o CDS/PP, sem qualquer acordo.