O ex-administrador financeiro da Rioforte, Gonçalo Cadete, vai ser ouvido na comissão de inquérito à gestão do BES e do Grupo Espírito Santo (GES) a 24 de fevereiro, indica o mais recente calendário de audições.

De acordo com a lista, disponível na página Internet da comissão alojada no portal do parlamento, Gonçalo Cadete - ex-responsável da Rioforte, uma holding da família Espírito Santo - será ouvido a 24 de fevereiro, terça-feira, pelas 09:00.

A comissão ouviu esta terça-feira de manhã o presidente do Novo Banco, Eduardo Stock da Cunha, e escuta de tarde o ex-presidente do BES Angola (BESA), Rui Guerra.

Na quarta-feira, pelas 16:00, será ouvido o presidente da comissão executiva da seguradora Tranquilidade, Peter Brito e Cunha.

Já na quinta-feira, pelo mesmo horário, estará na comissão o responsável de compliance do BES e da ESFG, João Filipe Martins Pereira.

Para a próxima semana estava já marcada a audição, a 17 de fevereiro, de Carlos Calvário, diretor do departamento de risco do GES, e há novas confirmações: no dia seguinte é ouvido João Moita, também do mesmo departamento.

Já na quinta-feira, 19 de fevereiro, é ouvido o presidente da Deloitte, Luís Magalhães, numa audição marcada para as 16:00.

A comissão de inquérito arrancou a 17 de novembro passado e tem um prazo total de 120 dias, que pode eventualmente ser alargado.

Os trabalhos dos parlamentares têm por intuito «apurar as práticas da anterior gestão do BES, o papel dos auditores externos, e as relações entre o BES e o conjunto de entidades integrantes do universo do GES, designadamente os métodos e veículos utilizados pelo BES para financiar essas entidades».