O PSD considerou "maus" os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) que indiciam uma manutenção em maio da taxa de desemprego nos 11,6% e desafiou o Governo a inverter "rapidamente" a sua estratégia económica.

Esta posição foi transmitida pelo vice-presidente da bancada social-democrata Adão Silva, depois de o INE ter divulgado na sua estimativa provisória que a taxa de desemprego em maio, face a abril, terá ficado inalterada nos 11,6%, recuando 0,8 pontos percentuais relativamente ao período homólogo.

Perante os jornalistas, o dirigente do Grupo Parlamentar do PSD classificou como "maus" os dados do INE sobre a evolução do emprego em Portugal.

"O emprego não cresce e até diminui em Portugal e há cerca de 27 mil novos portugueses sem emprego no país. Estes resultados acontecem por que há uma estratégia económica errada no país", sustentou Adão Silva.

Adão Silva salientou depois que as instituições internacionais já apontam para "um arrefecimento" da economia portuguesa, "decrescendo este ano".

"Apesar de o primeiro-ministro [António Costa] contradizer o seu ministro das Finanças [Mário Centeno], a verdade é que este último disse [na quarta-feira] que a economia portuguesa vai arrefecer, o que se traduz numa redução do emprego", assinalou o vice-presidente da bancada social-democrata.

Neste quadro, Adão Silva advogou que o executivo socialista "deve rapidamente alterar a sua estratégia económica, já que a atual gera maus resultados para os portugueses".

"Não vou agora comentar a estimativa do Fundo Monetário Internacional (FMI) para a economia portuguesa, porque chegam-me os números do ministro das Finanças: A previsão inicial de crescimento de 1,8% este ano não se vai verificar e até chega mesmo a dizer que nem sequer a previsão da OCDE, que era de 1,2%", referiu Adão Silva.