O primeiro-ministro homenageia no sábado o líder do I Governo Constitucional, Mário Soares, por ocasião dos 40 anos da posse desse Executivo, numa cerimónia para a qual foram convidados todos os antigos primeiros-ministros e presidentes da República.

Com esta cerimónia, que se realizará ao fim da tarde nos jardins da residência oficial do primeiro-ministro, em São Bento, António Costa pretende homenagear a figura de Mário Soares e ao mesmo tempo destacar a importância deste Governo que resultou das primeiras eleições legislativas realizadas em Portugal após o 25 de Abril.

"É uma homenagem a Mário Soares, às primeiras eleições legislativas em democracia e ao Governo que dessas eleições resultou", sintetizou à agência Lusa fonte ligada à organização desta iniciativa.

Para já, além de António Costa, estão previstos discursos do fundador do PPD (Partido Popular Democrático) e antigo primeiro-ministro (1981/1983, Francisco Pinto Balsemão - amigo pessoal de Mário Soares - e do ministro dos Transportes e Comunicações desse I Governo Constitucional, Rui Vilar.

Para esta cerimónia, foram ainda convidados membros e colaboradores dos três executivos liderados por Mário Soares: Os dois primeiros entre 1976 e 1978; o terceiro, o do "Bloco Central" PS/PSD, entre 1983 e 1985.

Fonte do Governo disse à agência Lusa que, num momento em que se completam 40 anos da posse do I Governo Constitucional, que era minoritário e só do PS, pretende-se "salientar o contributo que esta equipa governativa deu à institucionalização da democracia e à consolidação dos princípios do Estado de Direito".

Por outro lado, com esta iniciativa, visa-se também destacar a ação deste Governo liderado por Mário Soares no domínio da estabilização da economia portuguesa, que no ano anterior tinha atravessado o PREC (Processo Revolucionário em Curso) e, ainda, no que se refere ao processo de adesão de Portugal à Comunidade Económica Europeia (CEE).

"Apesar de ser minoritário e dos constrangimentos que teve de enfrentar, este Governo fez o pedido formal para a adesão de Portugal à CEE em março de 1977. Já o II Governo Constitucional, também liderado por Mário Soares, mas com o suporte do CDS, lançou as bases do Estado social em Portugal. Mesmo com a oposição do CDS, esse Governo criou o Serviço Nacional de Saúde", referiu ainda à agência Lusa um dos membros do atual executivo.