O candidato presidencial Henrique Neto lamentou, esta quinta-feira, que os Governos e os candidatos à Presidência da República do sistema não tenham sabido criar empregos e apelou ao voto nele porque “toda a vida criou emprego”.

“Temos de fazer crescer a economia, temos de criar emprego, mas para isso também é preciso saber como é que isso se faz e infelizmente os Governos portugueses não têm mostrado que sabem e eu também não vejo que os candidatos à Presidência da República, principalmente os do sistema, saibam como é que isso se faz. Não creio que saibam e eu lamento isso”, declarou o empresário Henrique Neto, no final de visita que realizou esta tarde ao Mercado do Bolhão, no Porto.


O candidato afirmou que toda a vida andou a criar emprego e a desenvolver mercados e, por essa razão, apelou ao voto dos portugueses.

“Se os portugueses votarem conscientemente, talvez eu tenha a oportunidade de mostrar como é que se pode fazer crescer a economia e como é que se podem criar empregos, porque foi aquilo que eu fiz toda a minha vida… criar empregos, desenvolver tecnologia, desenvolver mercados, nomeadamente exportação, e isso pode ser feito”, disse.

O candidato Henrique Neto defendeu que é necessário animar as pessoas, principalmente os jovens, para que não abandonem o país e que acreditam que Portugal “pode sobreviver a estas crises e pode ter maior decência e maior seriedade e maior verdade naquilo que os políticos vão dizer”.

”Quando uma economia oferece muito e há pouca gente que tenha poder de compra para comprar é uma economia pobre. E uma economia pobre não pode resolver os problemas do país", argumentou o empresário.

Henrique Neto visitou hoje os Mercados de Matosinhos e do Bolhão (Porto) e as Feiras de Pedras Rubras e de Barcelos, afirmando que a receção foi “ótima”.

“As pessoas recebem-nos bem, muita gente queixa-se, lamenta-se, dizem que os negócios e as vendas vão mal”, afirmou o candidato, lembrando que as pessoas estão a vendar para “ganhar para comer" e que há “uma certa tristeza no país”.


O candidato acredita que é preciso dar “ânimo” às pessoas, “coragem” e, principalmente nesta fase, “convencer as pessoas a votar”, porque há 50% de portugueses que já desistiram do país.

Henrique Neto acrescentou ainda ser triste ver o Mercado do Bolhão como está atualmente, mas disse querer acreditar que com um “presidente da Câmara do Porto de “grande qualidade” vai ser feita “alguma coisa” por aquela praça portuense.

“Isto é uma riqueza que o Porto não pode perder”, declarou.

As eleições à Presidência da República 2016 estão marcadas para o próximo dia 24 de janeiro.