A deputada do partido ecologista, Heloísa Apolónia, considerou esta sexta-feira que se "impõe urgentemente" a criação de uma nova solução de Governo, reiterando que a hipótese que traz mais estabilidade é a de um executivo PS.

"Impõem-se urgentemente a criação de uma nova solução e reiterámos a nossa a nossa posição: face as resultados eleitorais e ao novo enquadramento parlamentar estão criadas as condições para a formação de um Governo do PS", afirmou Heloísa Apolónia, em declarações aos jornalistas à saída de uma audiência com o Presidente da República.

Sublinhando que "não há nenhuma outra solução que garanta mais estabilidade do que esta", a deputada do PEV manifestou a "predisposição total" do seu partido para "um diálogo profundamente construtivo no sentido de alterar as políticas no país", como cita a Lusa.
 

"Não há nenhuma outra solução que garanta mais estabilidade do que esta, o prolongamento da indefinição leva a uma situação de instabilidade no país que não tem razão de ser", acrescentou.


Questionada se o Presidente da República pediu mais garantias ao PEV, Heloísa Apolónia disse apenas que o chefe de Estado conhece o acordo que foi estabelecido com o PS e apenas procurou saber a posição do partido.

O Presidente da República está a ouvir os sete partidos com assento parlamentar, 10 dias depois da aprovação de uma moção de rejeição ao programa do Governo. A aprovação do documento, com o voto de toda a oposição parlamentar, implicou a demissão do executivo de coligação PSD/CDS-PP, liderado por Pedro Passos Coelho.

Durante a manhã, o chefe de Estado ouviu o PSD, o PS, o BE e o CDS-PP. À tarde, além do PEV, Cavaco Silva já recebeu o PCP. A última audiência do dia será ao partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN).