O grupo de economistas que elaborou o cenário macroeconómico do PS respondeu hoje detalhadamente às 29 perguntas colocadas pelo PSD e diz-se disponível para "prestar todos os esclarecimentos que os portugueses considerarem necessários".

Na segunda-feira, o porta-voz e vice-presidente do PSD, Marco António Costa, enviou uma carta ao PS com perguntas sobre o cenário macroeconómico apresentado pelos socialistas, nomeadamente sobre o sistema de pensões ou o custo orçamental das medidas, insistindo numa análise por organismos independentes.

A resposta do PS chegou hoje num documento de 23 páginas [link para respostas no site do PS], que inclui modelos matemáticos, e onde o grupo de economistas, liderado por Mário Centeno, agradece ao PSD a possibilidade que o conjunto de perguntas oferece de detalhar o cenário apresentado na semana passada.

"Resta referir que, dada a natureza inédita e o desejo de assegurar a verificabilidade e de sujeitar a contraditório esta simulação, nos encontramos ao dispor, num pleno exercício de cidadania, para prestar todos os esclarecimentos que os portugueses considerem necessários", referem.


Marco António Costa insistiu na sugestão colocada já pela ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, no parlamento, propondo que o PS submeta o cenário macroeconómico “desde logo à Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO), mas também eventualmente ao Conselho de Finanças Públicas”.